Branding | Design

MTV: o legado de uma marca – Parte 2

A história da MTV é acompanhada por uma paleta de cores neon única, por um logotipo adaptável, elementos divertidos, um tom de voz ousado e rebelde, e aspectos “trash”.

Toda sua história é repleta de branding.

Sim, branding. Afinal a MTV marcou um período da história, revolucionou os videoclipes e a maneira de ouvir música, introduziu uma essência musical inovadora no mercado, e claro, foi uma das precursoras do estilo “trash”. Ah, e tem mais: criou elementos visuais que são referência atemporal.

Vamos começar pelo logotipo: o M maiúsculo acompanhado de “TV”, em minúsculo, foi estruturado com muitas cores neon e uma tipografia nunca vista antes, e foi adaptado para vários modelos diferentes. Não havia uma regra exata para a aplicação do logotipo, e isso fazia jus a adaptabilidade do canal em relação aos estilos musicais e as diferentes tribos sociais. Afinal, a música sempre abrangeu diversos tipos de grupos: o rock, o hip hop, pop culture, mpb, rap, funk e muitos outros.

A tipografia se assemelha as letras de um grafite, o que representa a cultura urbana, tão marginalizada na época.

A paleta de cores, muito diversa, foi estruturada com cores fortes, de atitude, como o rosa chock, o laranja, o amarelo, o verde e o azul em neon. As aplicações de marca eram feitas alinhadas ao conteúdo de determinado programa, e as cores adaptavam-se ao conteúdo exibido. 

O pattern, por sua vez, também foi desenvolvido com uma variedade de texturas, desde estampas de oncinha e xadrez, até desenhos espaciais, como planetas e foguetes. Não havia regra para o pattern: ele era construído e disposto de acordo com a cultura nativa de cada área ou programa. Tudo isso para representar as inúmeras possibilidades e a várias tribos urbanas que a marca podia representar.

Como identidade verbal e tom de voz, a marca se comunicava através de uma linguagem jovem, rebelde, ousada. Uma linguagem informal, repleta de gírias (e até palavrões rsrs) era falada abertamente. O canal era compreendido e criava conexão com o público porque era capaz de falar todas as linguagens urbanas.

Vale ressaltar também que, até mesmo a moda era muito presente no canal. Os apresentadores, por exemplo, sempre se vestiam com roupas coloridas, descoladas, diferentonas. Cada um tinha seu estilo próprio e se conectava com determinada tribo urbana diferente: alguns eram do rock, outros do pop, do hip hop, da música eletrônica, do rap, do mpb…Esse jeito único de se vestirem e de se portarem compôs o perfil de imagem da marca por muitos anos. Além disso, todo esse figurino também impactou a indústria da moda na época. Tudo o que era visto no corpo dos VJ`s, virava alvo de desejo de consumo.

Todos esses elementos de branding, transformaram a identidade da MTV em algo único. Tudo que era jovem e descolado passou a ser associado a MTV: estilos musicais, roupas, penteados, dialetos, festas, grafismos e cores.

Inclusive, o trabalho de branding da MTV traduz tanto o espírito da marca que chega a ser surreal.

Essa essência de marca perdurou até 2013.

Por conta da evolução da TV e da mídia no geral, o canal passou a perder audiência, já que não era mais o único a produzir determinados conteúdos.

Apesar de toda a programação, a audiência não subia de jeito algum, e os prejuízos foram muitos. O Grupo Abril, portanto não pôde continuar mantendo a MTV. Nenhuma tentativa de agradar o público surtia resultado e a emissora foi devolvida a sua proprietária, Viacom CBS, em junho de 2013.

A Viacom comprometeu-se a reformular e relançar a emissora, mas dessa vez por assinatura, e sem a denominação “Brasil” após o MTV. O canal, então, despediu-se do público com “O Último Programa do Mundo”, e foi encerrado em 30 de setembro.

Quando voltou ao ar, completamente reformulado, muito de seus conceitos mudaram.

Da mesma forma que o canal foi reinserido no mercado, sua identidade também mudou. Foi feito um rebranding, que alterou seu estilo para sempre. A emissora ainda continuou com uma linguagem jovem, porém dessa vez mais amaciada, ou melhor, mais “gourmet”, como muitos de seus expectadores fizeram questão de pontuar.

O “M”, que remetia à música, agora remete a “milênio”, referindo-se à nova audiência da emissora que, de acordo com pesquisas, é figurada por um público de 15 a 30 anos, que gosta de música e passa 50% de seu tempo assistindo TV. Portanto, a nova programação passou a ser muito mais abrangente em relação a música, estilo de vida e conteúdo, visando atender à diversidade de todos os públicos.

A logotipo foi reformulado para uma versão mais moderna, e a paleta de cores tornou-se mais neutra, embora ainda seja colorida. O perfil de seus apresentadores, composto muito por suas vestimentas e por sua postura, mudou drasticamente: as vestimentas ficaram mais formais, e a postura passou a ser mais neutra. Muitos dizem que essa mudança foi necessária para que o canal se mantasse de pé ao longo dos anos.

Hoje, a MTV é um canal voltado a programas de pessoas famosas e reality shows, e conta com artistas como Fiuk, MC Guimé, Tiago Leifert, Luan Santana, e muitos outros. Programas como “De Férias com o Ex” repercutiram positivamente para o público, que passou a ser figurado por adolescentes e pessoas mais ligadas à celebridades e ao mundo da moda.

Todas essas mudanças, porém, não alteraram no legado da marca.

Legado

A MTV nasceu com uma veia subversiva e ousada, tinha liberdade para fazer o que bem entendesse e objetivando falar com o jovem de igual pra igual, como um amigo da contracultura, inclusive com credibilidade. Apesar de se posicionar como alternativa, não agradou apenas grupos isolados de audiência.

Ao longo dos anos, a empresa foi perdendo essa função de rádio na TV e se tornou realmente uma televisão; os programas de comportamento e campanhas de conscientização ganharam espaço, também destaque. Foi além do videoclipe. Mais além ainda: transformou-se em uma marca completa, através de um trabalho de branding incrível.

Sim, A MTV foi revolucionária em vários sentidos:

O Fica Comigo, da apresentadora Fernanda Lima, exibiu o primeiro beijo gay da TV aberta, da forma mais natural possível. O Rockgol foi o primeiro espaço a discutir futebol de forma diferente, apresentada por Paulo Bonfá. A emissora também exibiu ao vivo uma briga entre João Gordo e Dado Dolabella; deu espaço a bandas desconhecidas, que necessitaram da ajuda da MTV para crescer como Fresno, Restart, Banda Uó e Criolo; criou e disseminou dialetos entre os jovens, e por mais incrível que pareça, já mandou seu público desligar a TV e ler um livro!

Mas além de tudo isso, foi muito por conta de todos esses fatos que ficaram marcados para o público, que a MTV se tornou marca. Sua identidade visual, verbal e como um todo, marcou uma geração inteira, e foi uma das primeiras referências em relação a cores fortes, comunicação despojada e jovial. O legado do branding de MTV transformou o canal em um estilo de vida, uma experiência eterna e para sempre lembrada.

E você? Quer uma marca que seja para sempre lembrada?

Vem ser Roxo com a gente!