Branding | Marketing

O papel dos porta-vozes na estratégia de marca.

Nunca antes na história da humanidade, o ambiente foi tão propício para criação de novas soluções, tecnologias e empresas. Não existe um dia no qual não somos surpreendidos com descobertas tecnológicas e científicas e lançamentos de produtos e serviços que até alguns anos atrás eram inimagináveis.

Diante de tantas mudanças (de consumo, de publicidade e até de vida), há algo que nunca muda: a conexão entre empresas e pessoas por meio de histórias, o chamado storytelling.

Contar uma boa história, que envolva corações e mentes dos consumidores, requer estratégia e técnicas específicas. E, para isso, quem melhor que os fundadores (ou líderes natos) das empresas para contar e vender suas histórias, serem os porta-vozes de suas marcas e causas?

Steve Jobs

A importância do porta-voz de marca

Se cada empresa possui suas particularidades e suas trajetórias, seus porta-vozes são os contadores dos desafios vencidos, das dificuldades iniciais, dos propósitos estabelecidos, do “impossível que se tornou possível”, sendo, assim, uma incrível fonte de inspiração.

Nós, da Roxo, defendemos o porta-voz de marca como o ponto crucial no processo de humanização na relação com os consumidores. Além de fundamental para o branding, o porta-voz por si só traz um conjunto de informações visuais e intelectuais que propagam aos quatro ventos o ideal da marca, proporcionando impactos positivos nas vendas.

São vários exemplos de porta-vozes (de marcas, causas ou segmentos) que se tornaram icônicos ao longo da história recente, como John Lennon (a busca pela paz, pela vida em harmonia), Steve Jobs (criatividade, o pensar diferente), Walt Disney (todo sonho é possível) , Martin Luther King (igualdade entre as pessoas), Bill Gates (tornar a tecnologia digital acessível para todos), etc.

Além desses, selecionamos neste artigo alguns porta-vozes que transcendem a esfera empresarial e se conectam com as pessoas de uma forma única e poderosa, gerando uma simbiose fantástica entre porta-voz, marca e clientes, sendo “cases vivos” de branding.

Vamos lá!

Elon Musk

Nossa lista não poderia começar com outro nome sem ser este ícone atual do empreendedorismo. Fundador da SpaceX, CEO da Tesla Motors e outras empresas de sucesso, o homem mais rico do mundo nos inspira em mudanças de estratégia e trabalho firme, mesmo após o alcance do sucesso. Todos seus projetos são audaciosos e taxados de “impossíveis”, o que aumenta ainda mais sua paixão e gana para torná-los reais.

Elon Musk

Daniel Ek

Co-fundador e porta-voz do Spotify, foi considerado a pessoa mais influente na indústria da música pela Billboard. Apesar de muito jovem, o empreendedor trabalhou em um sonho de adolescente e hoje sua superação é fruto de um negócio bilionário. Para se inspirar, a persistência, otimismo e automodernização constante, são suas marcas registradas.

Daniel Ek

Reed Hastings

Fundador e CEO da Netflix, visionário, o empreendedor co-criou a plataforma que mudou o hábito de milhões de pessoas no mundo inteiro. Interessante notar como a marca se posiciona nas redes sociais, sempre de um jeito divertido e interativo. As inspirações aqui passeiam de marketing inteligente a especificidade em nichos de atuação.

Reed Hastings

Antônio Luiz Seabra

Fundador e porta-voz da Natura, uma empresa genuinamente brasileira que é sinônimo de sustentabilidade e respeito às diferenças, muito antes disso ser pauta do mercado atual. O empreendedor iniciou a carreira bem jovem e construiu uma imagem de preservação ambiental fortíssima, tanto em seu discurso como em cada produto de sua marca.

Antônio Luiz Seabra

Luiza Helena Trajano

Fundadora e porta-voz de uma das maiores empresas do comércio brasileiro, Magazine Luiza, em breve Magalu. A empreendedora sempre nos inspira não apenas nas estratégias de marketing, mas também em sua postura como cidadã.  Entre as campanhas que encabeçou recentemente estão a “não demissão” de funcionários durante a pandemia, a abertura de vagas apenas para pessoas negras e a “Vacina para todos”.

Luiza Helena Trajano

Flávio Augusto

Porta-voz e fundador da escola de inglês Wise Up, o empreendedor não esconde que não dominava a língua inglesa, e ainda assim conseguiu sucesso neste empreendimento. Resultado de sua capacidade de conectar clientes certos para produtos certos. Sua inspiração de carreira nos direciona à persistência e estratégias inovadoras.

Flávio Augusto

Quais as principais características de um porta-voz?

Estes são apenas alguns exemplos de porta-vozes que exercem um papel estratégico dentro do branding de suas empresas. Embora sejam de áreas diferentes, eles tem algumas características em comum.

Características estas que você pode ter ou desenvolver. Confira:

Comunicação e expressão

Comunicação pessoal e interpessoal são essenciais para o exercício da função, o que envolve o uso adequado do vocabulário, da voz (boa dicção é importante) e da linguagem corporal, principalmente em vídeos. Além disso, o porta-voz precisa estar alinhado ao tom de voz da marca.

Sensibilidade e rapidez de raciocínio

As marcas usam lives frequentemente para interagir com o público e os porta-vozes precisam saber como agir nas mais variadas situações. No “ao vivo” não há tempo para pensar, principalmente com perguntas inusitadas. Por isso, o porta-voz precisa ter sensibilidade para antever essas situações e agir de forma propositiva e inteligente.

Profundo conhecimento do setor

O porta-voz deve ser um profundo conhecedor não apenas de sua empresa, mas de todo o setor. Deve estar sempre informado dos principais números, notícias e pesquisas, para não correr o risco de passar informações desatualizadas ou incorretas.

Desnecessário dizer que, além disso, simpatia, educação e sorriso são fundamentais, né?

Importante salientar também que não é preciso ser alguém “especial” ou “iluminado” para ser um porta-voz memorável, e sim ter uma estratégia de branding bem definida e treinar para isso.

E você? Quer ser o porta-voz da sua marca?

Então vem ser Roxo com a gente!