Estúdio Roxo

BrandSense – crie experiências mais significativas para seus clientes

06 Out. 2018
categoria Branding + Marketing

É fácil simplificar nossa experiência percebida com uma marca, reduzindo-a ao seu apelo visual; mas há mais coisas acontecendo com marcas de sucesso do que apenas visuais.

Pesquisas mostram que há uma divisão 90-10 entre nossas mentes subconscientes e conscientes – o que significa que muitas das decisões que pensamos serem racionais e analíticas são, de fato, movidas por algo muito mais instintivo e emocional. O subconsciente, anatomicamente conhecido como sistema límbico, é onde armazenamos nossas memórias de longo prazo, onde formamos nossos hábitos e padrões e onde obtemos nossa intuição e criatividade.

Estamos acostumados a ver marcas ao nosso redor, mas essa sobrecarga ocular pode muitas vezes dificultar o alcance das marcas em um nível puramente visual. Experiências, no entanto, envolvem mais do que apenas os olhos; eles tocam com múltiplos sentidos, às vezes todos de uma só vez. A marca sensorial opera com base na premissa de que, se uma marca estimular múltiplos sentidos, nós experimentaremos a marca mais profundamente, conectando-nos em um nível emocional mais profundo.

Cheiro

O olfato é um dos nossos sentidos mais influentes e é o sentido mais diretamente ligado ao sistema límbico. Como resultado, estamos 100 vezes mais propensos a lembrar algo que cheiramos sobre algo que envolve qualquer um dos nossos outros sentidos, incluindo a visão. De acordo com o New York Times, “81% dos consumidores escolheriam um produto que pudessem cheirar e ver um que só pudessem ver”. Além disso, devido à sua ligação com a memória, o olfato pode facilmente desencadear emoções e sentimentos positivos. Muito comum hoje em dia você sentir um cheiro e lembrar de uma loja. O Branding olfativo vai além do segmento alimentício.

Um bom exemplo disso são as marcas que investem em “cheirinhos” exclusivos para aromatizar suas lojas. Basta entrar em uma loja da Osklen pra imediatamente se sentir na praia, seu aroma é típico da orla e faz você se sentir pertinho do mar. Tudo a ver com a marca, não é mesmo?!

Som

Amplificar sua marca em um mundo visual barulhento e no sentido mais literal requer som. Esta não é uma nova revelação para os gerentes de marca; O som é há muito tempo uma ferramenta confiável no arsenal do profissional de marketing, oferecendo a capacidade de capturar a atenção e manter-se na mente muito depois de uma experiência inicial ter desaparecido. Mais impressionante ainda, é a capacidade de uma marca incorporar sons de assinatura em todas as interações entre consumidores e marcas. Pegue o toque marcado, o e-mail enviado “whoosh”, o antigo ICQ e o som da marca registrada da Siri, para citar apenas alguns dos efeitos sonoros da Apple.

Outra marca que não podemos deixar de fora é a Intel, ao ligar ou desligar um computador da marca seu som característico fica na mente. Dê o play e veja.

Tocar

Composta por mais de 4.000.000 receptores sensoriais, a pele torna os consumidores suscetíveis a influenciar através do toque. As marcas podem usar materiais para adicionar significado e elevar a experiência mais ampla. Os haptics tradicionalmente abrangem três sensações táteis: textura, dureza e peso. Pesquisas mostram que inconscientemente associamos significados diferentes a essas sensações. Explorá-las faz todo sentido.

A Brasileiríssima marca Melissa explora esse sentido muito bem. Não em uma menina que não se recorde da textura típica das sandálias de plástico, sucesso em todas as idades.

Gosto

No setor de alimentos e bebidas, o sabor é naturalmente uma grande parte da experiência do consumidor; Como todos sabemos, o melhor caminho para o coração de uma pessoa é através do estômago. No entanto, o sentido do gosto ainda é relevante e pode ser incorporado em experiências de marca fora dessa indústria. De fato, graças à memória e à associação, o ato de consumo físico nem sequer é necessário para evocar emoções através do sentido do paladar. Reconhecidamente, esse sentido exige um pouco de criatividade para marcas não alimentícias e de bebidas.

Um sabor inesquecível, por exemplo, é do Doce de Leite Havanna ou Alfajor – Por mais que você tenha experimentado de outras marcas estes ainda serão os mais especiais de todos.

Marca sensorial não é superestimulação. Ao trabalhar para criar uma experiência de marca, é importante considerar que, embora tenhamos cinco sentidos, não os usamos de forma igual. É verdade que a visão ocupa a maior parte de nossa largura de banda sensorial, seguida pelo toque. No entanto, todos os sentidos estão envolvidos durante a experiência do consumidor. Assim, para alcançar a experiência sensorial ideal, uma marca deve priorizar e se envolver com cada sentido no momento apropriado e na medida certa na jornada de engajamento da marca.

Ao criar oportunidades de engajamento, as marcas criam uma conexão. Com consumidores cada vez mais sobrecarregados com mensagens ao longo de suas vidas diárias, as marcas inteligentes serão as que encontrarão uma maneira de superar experiências memoráveis e sensoriais que envolvem um nível emocional. Grandes experiências contornam a mente racional e tocam diretamente no subconsciente, criando memórias e associações que permanecerão conosco por anos.

Vamos começar nossa experiência? Vem ser Roxo com a gente.

 

Referência bibliográfica: Brand Sense: Segredos Sensoriais por trás das coisas que compramos – Martin Lindstrom
Colaborador: Fábio Espindola

Veja também!

Branding + Design + Marketing
Harley-Davidson: mais que uma marca, um estilo de vida.

Ame ou os odeie, Harley-Davidson é a marca mais evocativa do mundo. Muitas vezes questionada pelo seu valor superest...

Ame ou os odeie, Harley-Davidson é a marca mais evo...

24 Jan. 2018 - por Adriano Frachetta
Branding + Design + Web
O poder da primeira impressão na era digital

Se você acha que que aquele marca criada há anos para aquele site que está no ar faz tempo funcionará para sua em...

Se você acha que que aquele marca criada há anos p...

06 Aug. 2018 - por Adriano Frachetta
Branding + Marketing
Marcas se conectam melhor com os clientes quando promovem experiências.

A grande mudança no comportamento dos consumidores brasileiros foi nos anos 90 com o grande Boom da internet no Br...

A grande mudança no comportamento dos consumidore...

13 Dec. 2017 - por Adriano Frachetta

© 2012-2018 Estúdio Roxo - Todos os direitos reservados.